sábado, 10 de janeiro de 2015

RETRO REVIEW: Os games da série Street Fighter no Super NES




GAMES: RETRO REVIEW

Publicado em: 10/01/2015
Atualizado em: 22/11/2016




     Este post abre a nova seção Retro Review, que relembra jogos clássicos. Os primeiros games a serem relembrados são os 4 games da série Street Fighter para o Super Nintendo, que foram os responsáveis pelas filas de jogadores nas locadoras. Bons tempos...





OS JOGOS DE STREET FIGHTER PARA SUPER NES
SNES  WiiU  3DS


     O Super Nintendo recebeu 4 jogos da série Street Fighter:  o clássico Street Fighter II, Street Fighter II Turbo (com a versão Champion Edition inclusa), Super Street Fighter II e Street Fighter Alpha 2. Se você é da época dos 16 bits, estes, com certeza, fizeram a sua infância (ou a adolescência). Todos estes já estão disponíveis na loja virtual americana da Nintendo para o WiiU (Virtual Console). 
     E para o Virtual Console do New Nintendo 3DS, já estão disponíveis as versões digitais de Street Fighter II Turbo, Super Street Fighter II e de Street Fighter Alpha 2.



1) STREET FIGHTER II: THE WORLD WARRIOR (1992):
SNES  WiiU

Fabricante: Capcom
Ano de lançamento: 1991 (arcade),1992 (SNES)
Mídia: cartucho 16 MB (SNES) ou mídia digital (WiiU)




     Fenômeno da geração dos 16 bits, Street Fighter II criou todo o conceito de jogo de luta seguido em suas continuações, upgrades (atualizações), e também nos jogos concorrentes.  O game foi sucesso absoluto de público e crítica. Com 8 lutadores carismáticos (como os famosos Ryu, o Ken, o Blanka e a Chun-li...)  à disposição do jogador e jogabilidade inovadora para a época, Street Fighter II foi um fenômeno cultural dos anos 90. 
     A versão para Super NES trouxe praticamente quase todo o conteúdo básico da versão arcade, com todos os personagens e seus respectivos cenários e finais (um pouco modificados nesta versão).  Este foi o primeiro jogo a introduzir o modo Versus, feito exclusivamente para disputas entre 2 jogadores, e responsável por deixarem as pessoas horas e horas na frente da TV.
     O jogo pecou um pouco apenas nas músicas e as vozes ficaram meio estranhas (comparando com a versão do Arcade), mas são detalhes insignificantes diante da diversão que o jogo proporciona. Apesar de não ser uma conversão perfeita, Street Fighter II: The World Warrior é um clássico eterno!



          PRÓS:

  • Gráficos e jogabilidade inovadores (para a época);
  • Personagens incônicos e carismáticos;
  • Quase todo o conteúdo do Arcade (que fez Street Fighter II virar um clássico) bem preservado nesta versão;

CONTRAS:

  • Trilha sonora mediana;
  • Ausência da tela de abertura do Arcade;
  • Qualidade das vozes;



Nota: 8,0 – ótimo*






DICA:

Habilitar a segunda cor dos personagens:

Quando aparecer o logo da CAPCOM, aperte rapidamente baixo, R, cima, L, Y e B
(+ X e A na versão japonesa). Na seleção, escolha o lutador com o botão START. Além de habilitar a segunda cor, o código também permite jogar partidas entre lutadores iguais (Ryu VS. Ryu, Ken VS. Ken...).



2) STREET FIGHTER II TURBO: HYPER FIGHTING (1993):
SNES WiiU 3DS

Fabricante: Capcom
Ano de lançamento: 1992 (arcade),1993 (SNES)
Mídia: cartucho 20 MB (SNES) ou mídia digital (WiiU e 3DS)




     Depois do sucesso de Street Fighter II: The World Warrior, a CAPCOM lançou a primeira atualização de seu clássico, a versão Champion Edition, na qual permitia jogar com os chefes (Balrog, Vega, Sagat e M.Bison) e realizar lutas entre 2 personagens iguais (Ryu VS Ryu, Chun-li VS Chun-li,...), e fez mais sucesso que a versão original. Logo depois, foi lançada a versão Turbo, que adicionava novos golpes para alguns lutadores e acelerou a velocidade do game.
     O Super NES recebeu logo de cara a versão Turbo, que já contém todos os ajustes  feitos na versão do Arcade, com os chefes liberados, as lutas entre 2 lutadores iguais, os golpes novos e as opções para escolher a velocidade do jogo. O game também oferece a versão Champion Edition como opção extra.
     O gráfico não mudou muito em relação a versão anterior, alterando apenas as cores dos cenários. O quesito que melhorou de verdade foi a qualidade das vozes, que ficaram mais parecidas com as do Arcade.  As músicas tiveram uma leve melhora, mas neste ponto perde para a versão do Mega Drive, que tinha uma trilha sonora muito mais fiel.
   Street Fighter II Turbo entrega ao jogador tudo o que os jogadores esperavam, especialmente pelos chefes jogáveis, e as falhas da versão anterior corrigidas. Para os fãs, é mais que obrigatório!



PRÓS:

  • Possibilidade de jogar com os chefes;
  • Jogabilidade, trilha sonora e qualidade das vozes melhoradas;
  • Possibilidade de escolher a versão Champion Edition;
  • As telas especiais dos finais jogando em níveis de dificuldade mais avançados;

CONTRAS:

  • Não tem o modo Group Battle, presente na versão para Mega Drive;
  • Ausência da tela de abertura do Arcade, também presente na versão do Mega Drive;



Nota: 8,5 – ótimo*


           

            DICAS:

  • Turbo 10 estrelas: Quando o logo da CAPCOM desaparecer (e antes da letra "TURBO" aparecer), usando o controle 2, aperte rapidamente baixo, R, cima, L, Y e B (+ X e A na versão japonesa).
  • Lutar sem golpes especiais: Depois da mensagem "Licensed by Nintendo" (ou a tela do copyright na versão japonesa), aperte rapidamente baixo, R, cima, L, Y e B (+ X e A na versão japonesa). Esta dica também pode ser feita no VS. Mode, digitando o mesmo código (no controle 2) na tela de seleção de fases.   



 3) SUPER STREET FIGHTER II: THE NEW CHALLENGERS (1994):
SNES WiiU 3DS

Fabricante: Capcom
Ano de lançamento: 1993 (arcade),1994 (SNES)
Mídia: cartucho 32 MB (SNES) ou mídia digital (WiiU e 3DS)







     Super Street Fighter II foi a quarta atualização do clássico da Capcom. Na verdade, está mais para um remake, pois desta vez houve muitas mudanças na estrutura do jogo, desde os cenários dos lutadores, trilha sonora, os finais e até mesmo as vozes dos lutadores, que agora são diferentes para cada um, com as pronúncias dos golpes mais claras e compreensíveis (acabando com a brincadeira daqueles que trocavam o Sonic Boom por "Alex full" e o Tiger Uppercut por "Tiger Robocop"). Apenas o padrão dos gráficos foi mantido. E como diz o próprio subtítulo, trouxe novos lutadores para o elenco: Cammy, T. Hawk, Fei Long e Dee Jay.
     A versão para Super NES continuou com o ótimo trabalho de conversão, trazendo todos os novos elementos da versão Arcade, com destaque para a qualidade das músicas, que ficaram quase idênticas. O game trouxe também uma grande variedade de modos de jogo, como o Group Battle e o novo Tournament, modo de torneio para 8 jogadores.
     Os gráficos seguem com o mesmo padrão dos jogos anteriores, mas desta vez a Capcom caprichou na trilha sonora, que ficou quase idêntica ao do Arcade, e conta com a presença da memorável tela de abertura. Desta vez, diferente do caso do game anterior, a versão para o Super NES não deu chance para a versão do rival Mega Drive, sendo superior em quase todos os aspectos.  
     Com lutadores novos, grande variedade de modos e trilha sonora impecável, Super Street fighter II foi a melhor adaptação de um game da série Street Fighter para o Super NES. Imperdível!

           PRÓS:
  • Trilha Sonora quase idêntica ao do Arcade;
  • Vários modos de jogo, incluindo o Group Battle;
  • Os novos lutadores;
  • A tela de abertura;
  • A boa jogabilidade;
  • Vozes diferentes para cada lutador;
        
          CONTRAS:

  • Não é possível escolher o modo Super Turbo;
Nota: 9,0 – excelente*




 


DICA:
Personagens repetidos no modo Group Battle:
Aperte repetidamente os botões L e R no controle 2 até escutar a risada do Vega;


4) STREET FIGHTER ALPHA 2 (1996):
SNES WiiU 3DS

Fabricante: Capcom
Ano de lançamento: 1996 (arcade e SNES)
Mídia: cartucho 32 MB com chip SDD-1 (SNES) ou mídia digital (WiiU e 3DS)








     Depois de 5 atualizações de Street Fighter II (terminou com a versão Super Turbo, de 1994), a Capcom resolveu investir em novos games para a série, começando por Street Fighter Alpha (de 1995), um prequel de Street Fighter II. O sucesso do novo game gerou a sua continuação: Street Fighter Alpha 2 (Street Fighter Zero 2 no Japão).
     Street Fighter Alpha 2 chegou para o Super NES em 1996, 2 anos depois de muita espera por um novo game de Street Fighter para o 16 bits da Nintendo. Desta vez não se trata de um upgrade (atualização) de Street Fighter II, e sim de um jogo totalmente novo. A conversão do game foi competente, mas ainda longe de ser uma conversão perfeita.
     O destaque desta versão fica para os gráficos, que teve o auxílio do chip SDD-1 (o mesmo usado no RPG Star Ocean, da Square), e o visual dos personagens ficaram bem no estilo anime, com fortes influências dos animes Street Fighter II Animated Movie e o popular Street Fighter II V. As fases também foram muito bem representadas nesta versão para Super NES. Outro destaque fica para a tela de abertura, idêntica ao do Arcade até mesmo nas telas de demonstração das lutas, sendo muito melhor que a abertura da versão do Playstation.
     Já a trilha sonora e a qualidade das vozes ficaram bem inferiores em comparação com as versões do Arcade e do Playstation (a versão para Sega Saturn também teve problemas com a qualidade das vozes...), e foram os pontos onde o jogo deixou a desejar.
   O elenco foi reformulado, com alguns lutadores remanescentes de Street Fighter II, alguns que voltaram do primeiro Street Fighter (como o Adon e o Birdie), outros que vieram da série Final Fight (como o Guy e o Rolento), e alguns novatos, como o Charlie, o Dan e a colegial Sakura. Além desses, outra presença notável neste jogo é a do poderoso Akuma, o preferido dos apelões.
   O esquema de jogo é repleto de técnicas novas, pois além dos golpes especiais, os lutadores podem usar os devastadores Super Combos (com até 3 níveis de poder), o novo Custom Combo (que permite criar Super Combos próprios)  e os Alpha Counters (técnica de contra-ataque). A versão para Super NES também tem as telas de explosões dos Super Combos, incluindo a tela especial do poderoso Shun Goku Satsu do Akuma (conhecido por muitos como “O especial do apaga luz”).
    Outra novidade é o fato de cada personagem ter seu próprio sub-chefe e chefe final no modo Arcade. Por exemplo: jogando com o Ryu, ele enfrenta a Sakura como sub-chefe e o Akuma como chefe, e jogando com a Chun-li, o sub-chefe é o Gen e o chefe final é o vilão M.Bison.
    O que muitos podem estranhar é com os carregamentos entre as lutas (num jogo gravado em cartucho...), e a velocidade, que não é muito estável dependendo da fase onde as lutas estão rolando.
   Mesmo não sendo uma conversão perfeita, no geral, o Super NES usou todo o seu potencial e conseguiu fazer um bom trabalho com Street Fighter Alpha 2, um game que era considerado impossível de ser convertido para o console. Talvez se não fosse pela fraca trilha sonora e pelos carregamentos, este game estaria à altura do Super Street Fighter II no Super NES. Ainda assim, é um dos melhores games de luta do console.


           PRÓS:
  • A qualidade dos gráficos, com visual dos personagens no estilo anime;
  • A boa jogabilidade;
  • Muitos personagens novos;
  • Sistema de jogo inovador, com direito aos devastadores Super Combos e Custom Combos (e suas famosas telas de explosão!);
  • A tela de abertura idêntica ao do Arcade;
  • Cada personagem tem seu próprio chefe e sub-chefe;

CONTRAS:
  • Qualidade das músicas e das vozes muito inferiores em comparação com as versões do Arcade e do Playstation;
  • A velocidade do jogo não é muito estável, principalmente em fases com muitos detalhes;
  • Os carregamentos entre as lutas;
  • Ausência dos personagens secretos, como o Evil Ryu e as versões Champion Edition de Zangief e Dhalsim;

Nota: 8,5 – ótimo*
 




DICAS:
  • Jogar com a Chun-li com o traje de Street Fighter II: na tela de seleção de lutadores, coloque o cursor sobre a Chun-li e escolha a lutadora (aperte qualquer botão de soco ou chute) com o botão START pressionado;
  • Selecionar a fase de Street Fighter II Animated Movie: no modo Versus, quando for escolher a fase para a luta, coloque o cursor sobre Sagat e escolha a fase (aperte qualquer botão de soco ou chute) com o botão START pressionado;
  • Lutar contra o sub-chefe: no modo Arcade, finalize 5 vezes o computador com Super Combo ou Custom Combo, sem perder nenhum round;
  • Lutar contra Shin Akuma: no modo Arcade, escolha seu lutador com botão de soco (controle 1) ou chute (controle 2), finalize 3 vezes com PERFECT e chegue até a última luta sem perder nenhum round. Quando aparecer a mensagem “Here Comes a New Challenger”, o Shin Akuma (uma versão "turbinada" do lutador Akuma) aparecerá para te desafiar e ... Boa Sorte! Você vai precisar!
  • Jogar com Shin Akuma (Action Replay): ligue o Super Nintendo com o Action Replay (um acessório do tipo Game Shark), e digite o código 7E1C2714 (para o Player 1) ou  7E1C4F14 (Player 2). OBS: Esta dica não funciona nas versões digitais para o WiiU e New Nintendo 3DS.
  •  
     Se você tem o Wii U, os 4 jogos já estão disponíveis na e-shop na Nintendo. Se você tiver conta na e-shop americana, corra para fazer o download (se for possível, baixe os 4!), e depois é só reunir os amigos e passar horas e horas na frente da telinha tirando aquelas partidas VS. E depois baixe as versões para o New Nintendo 3DS para poder se divertir enquanto estiver viajando.

*- OBS: as notas das avaliações dos jogos da seção retrô levam em consideração as limitações técnicas do console;